Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Exposições

O Arquivo Histórico do Rio Grande do Sul tem como uma das suas funções a difusão de seu acervo por meio de exposições realizadas com documentação custodiada pela instituição. Essas exposições são concebidas pelo quadro técnico do AHRS, muitas vezes em parcerias com outras instituições culturais, acadêmicas e/ou governamentais. Confira algumas das últimas exposições realizadas pelo AHRS nos anos 2018-2019:

 

Anistia: um passado presente?

A exposição Anistia: um passado presente? relembrou os 40 anos da promulgação da Lei Nº. 6.683, de 28 de agosto de 1979, conhecida como a Lei da Anistia, que marcou um ponto de inflexão nos rumos da ditadura brasileira, com sua aplicação se estendendo até os dias atuais, impossibilitando a punição dos agentes envolvidos com violações aos direitos humanos. Destacam-se para a realização da exposição o Arquivo Particular
Movimento Feminino pela Anistia – Coleção Licia Peres/Mila Cauduro, criado em 1975, no Rio Grande do Sul, e a documentação proveniente da polícia política, visto os grupos pró-anistia passarem a ser constantemente vigiados pela comunidade de informações da ditadura. Também houve a realização de um seminário homônimo com especialistas nessa temática e depoimentos.

 

Realização: Arquivo Histórico do Rio Grande do Sul e Escola de Humanidades da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Curadoria: Ananda Simões Fernandes e Tatyana Amaral de Maia

Equipe técnica: Alan Ricardo Schimidt, Arienei Erian Azevedo de Abreu, Caio de Souza Tedesco, Carlos Eduardo da Silva Pereira, Isadora Dutra de Freitas, José Paulo Eckert, Júlia Boor Nequete, Leonardo Fetter da Silva, Stella Bianca Ferreira Maria

Apoio cultural: Museu da Comunicação Social, Memorial do Rio Grande do Sul e Museu Antropológico do Rio Grande do Sul

Período e local: de 28 de agosto a 6 de outubro de 2019, no primeiro andar do Memorial do Rio Grande do Sul; de 1 a 11 de novembro de 2019, no Mercado Público de Pelotas; de 12 a 14 de novembro de 2019, na Universidade Católica de Pelotas; de 7 de janeiro a 13 de março de 2020, no hall do Prédio da Antiga Reitoria da Universidade Federal de Santa Maria

O sequestro dos uruguaios em Porto Alegre: 40 anos depois

Essa exposição relembrou o caso que ficou conhecido como “o sequestro dos uruguaios”, ocorrido na cidade de Porto Alegre, em novembro de 1978, no marco da Operação Condor. Esse episódio ocorreu numa ação conjunta entre agentes brasileiros e uruguaios, levando ao sequestro dos uruguaios Lilián Celiberti, seus dois filhos, Camilo e Francesca, e Universindo Rodríguez Díaz. Foram utilizados os documentos do Arquivo Particular Omar Ferri, advogado dos uruguaios sequestrados, e os da polícia política, onde há os registros da vigilância e perseguição existentes na fronteira do Rio Grande do Sul com Uruguai e Argentina. Lilián Celiberti e Luiz Cláudio Cunha (jornalista que denunciou o sequestro) proferiram palestra durante a exposição, no dia 12 de novembro de 2018, quando se completaram 40 anos do sequestro.

 

Realização: Arquivo Histórico do Rio Grande do Sul e Comissão de Cidadania e Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul

Curadoria: Ananda Simões Fernandes

Equipe técnica: Alessandro Gomes, Arienei Erian Azevedo de Abreu, Caio de Souza Tedesco, Carlos Eduardo da Silva Pereira, Marcia Lopes de Faria, José Mendes Chesini, Pedro Luiz Vianna Osório, Tarson Nuñez

Apoio cultural: Arquivistas sem Fronteiras – Seção Brasil, Memorial do Rio Grande do Sul e Museu Antropológico do Rio Grande do Sul

Período e local: de 1 de novembro a 6 de dezembro de 2018, na Sala Múltiplos Usos do Memorial do Rio Grande do Sul; de 12 a 18 de dezembro no Hall de entrada da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul

 

Memorial dos Festivais: a música contando a História do Rio Grande

 O Arquivo Histórico do Rio Grande do Sul comporta em seu acervo documentos oriundos do Memorial dos Festivais da Canção Nativa, recolhidos pela instituição no ano de 2017 quando da extinção da Fundação Instituto de Tradição e Folclore (FIGTF). Este material recolhido já foi trabalhado por equipe técnica e disponibilizado para pesquisa a partir de 2018. Alusiva à Semana Farroupilha no Estado, foi realizada pelo Arquivo Histórico a exposição Memorial dos Festivais: A música contando a História do Rio Grande, a partir do trabalho realizado. A exposição, composta de materiais gráficos, fotografias, documentos e objetos, teve como propósito relembrar e resgatar parte da história dos Festivais da Canção Nativa que marcaram a produção artística musical, ocorridos nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná a partir da década de 1970, com a Criação da Califórnia da Canção Nativa, em Uruguaiana. 

 

 Realização: Arquivo Histórico do Rio Grande do Sul

 Curadoria: Vanessa Becker Souza, Vivian Eiko Nunes Fujisawa e Carlos Eduardo da Silva Pereira

Equipe técnica: Ananda Simões Fernandes, Arienei Erian Azevedo de Abreu, Caio de Souza Tedesco, Carlos Bertolleti, José Paulo Eckert, Mariângela Fonseca, Mariângela Ribeiro, Pedro Osório, Rossanna Prado

Apoio cultural: Memorial do Rio Grande do Sul e Museu Antropológico do Rio Grande do Sul

Período e local: de 6 a 30 de setembro de 2018, na Sala do Tesouro do Memorial do Rio Grande do Sul

Memórias do Espaço Vivido: a Casa do Estudante Universitário Aparício Cora de Almeida (CEUACA) 

O arquivo particular da Casa do Estudante Universitário Aparício Cora de Almeida (CEUACA) foi doado ao AHRS no ano de 2013. A fim de divulgar seus documentos, foi realizada a exposição Memórias do Espaço Vivido: a Casa do Estudante Universitário Aparício Cora de Almeida (CEUACA). Foram apresentados documentos e fotografias, além de objetos tridimensionais, que demonstram a trajetória da CEUACA. A exposição propõe a descoberta do entrelaçamento entre os vestígios materiais, as imagens e as memórias de um espaço vivido, demonstrando potencialidades investigativas e experiências além da moradia. Também foi exibido o documentário O lugar onde a Casa mora, de Débora Wobeto, Marcos Hinterholz e Renata Soares Costa, que traz entrevistas de antigos moradores, em seminário homônimo realizado. 

 

Realização: Arquivo Histórico do Rio Grande do Sul, Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Curadoria: Débora Wobeto, Marcos Luiz Hinterholz, Renata Soares Costa e Patrícia Elisiane da Rocha Coser

Equipe técnica: Doris Bittencourt Almeida e Cidara Souza

Apoio cultural: GT História da Educação – Associação Nacional de História (Seção RS), Museu da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e Memorial do Rio Grande do Sul

Período e local: de 1º a 31 de agosto de 2018, na Sala do Tesouro do Memorial

Secretaria da Cultura