Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Iniciativas de preservação do patrimônio cultural do RS recebem distinções nacionais no Prêmio Rodrigo Melo 2020

Caminho das Missões e Lãs do RS foram contempladas

Publicação:

Exposição "Lã crua, fios de memória - o saber fazer da mulher gaúcha", parte do projeto Lãs do RS
Exposição "Lã crua, fios de memória - o saber fazer da mulher gaúcha", parte do projeto Lãs do RS - Foto: Divulgação | Mars
Por Letícia de Oliveira e Rossanna Prado | Mars, colaboração de Ascom Sedac

O Rio Grande do Sul foi duplamente contemplado na maior premiação nacional do patrimônio cultural, o 33º Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade 2020, do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).  Destaque como vencedor para o Projeto Caminho das Missões Jesuítico-Guarani - roteiro de peregrinação pelos Povos Missioneiros do RS, e como menção honrosa para o Projeto Lãs do RS.

As duas iniciativas foram escolhidas entre mais de 500 propostas inscritas, de todo o Brasil, avaliadas por uma comissão estadual e após, pela comissão nacional, formada por 21 especialistas de todo o país, que contemplou 12 iniciativas vencedoras e destacou 5 menções honrosas.

O Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade, realizado desde 1987 pelo Iphan, chega a sua 33a edição destacando iniciativas que disseminam o conhecimento, o patrimônio imaterial e a formação de profissionais na área. O projeto premiado Caminho das Missões é um roteiro místico-cultural-histórico de caminhadas, por meio dos Sete Povos das Missões, onde o visitante pode conhecer os três Patrimônios Nacionais, sítios arqueológicos de São Nicolau, São Lourenço (São Luiz Gonzaga) e São João Batista (Entre-Ijuís) e o Patrimônio Cultural da Humanidade, São Miguel Arcanjo (São Miguel das Missões).

Menção honrosa

A menção honrosa foi para o Projeto Lãs do RS de educação para o patrimônio. Esta é uma iniciativa fomentada pela sociedade civil para visibilizar, preservar e salvaguardar os saberes e fazeres da lã de ovelha, como fonte de conhecimento tradicional e de referência cultural do patrimônio do RS.

A pesquisa e a execução são da museóloga e gestora cultural, Letícia de Cássia Costa de Oliveira, da Pangea Cultural que, desde 2013, realiza estudos sobre o artesanato no Estado. Esse olhar sobre os conhecimentos da cultura popular do RS resultou em sua pesquisa de mestrado, intitulada "Lã Crua, Fios da Memória: Mulher, Artesanato e Patrimônio Cultural do Rio Grande do Sul", realizada no Programa de Pós-Graduação de Museologia e Patrimônio da UFRGS, sendo a base acadêmica para o Projeto Lãs do RS, o qual tem  por objetivo ampliar as possibilidades de produtos e conhecimentos gerados pelo saber-fazer de uso histórico com a matéria-prima local através de ações, eventos e educação para o patrimônio da lã em seus valores afetivos, produtivos e territoriais.

Em 2019, o projeto se inicia realizando, em conjunto com o Museu Antropológico do Rio Grande do Sul (Mars), instituição da Sedac, a exposição "Lã Crua, Fios da Memória: O Saber-Fazer da Mulher Gaúcha", com curadoria de Letícia de Cássia e Rossanna Prado (Mars), que reuniu a evolução da cadeia produtiva da lã no Estado, com documentos históricos do Arquivo Histórico do RS (AHRS/Sedac), dos séculos 18, 19 e 20, materiais do acervo do Mars e materiais históricos da Emater, além de acervos pessoais afetivos.

Apresentou uma programação intensa de seminários, oficinas presenciais e rodas de conversa. Em 2020, com a restrição de eventos em função da pandemia, o projeto conquistou o meio virtual com a realização do webinário Lãs do RS, que trouxe ao público apaixonado pela lã uma série de nove encontros com especialistas, técnicos e artesãs e artesãos da lã gaúcha.

Representado por Letícia, o Projeto também está à frente, juntamente com a Associação Pampa Gaúcho de Turismo (Apatur), do encaminhamento para o Iphan do Dossiê: "Patrimonialização dos Saberes e Fazeres da Lã do Rio Grande do Sul", bem como da implementação do futuro Museu da Lã, em Bagé. Instituição que se caracterizará enquanto Museu de Território, abrangendo todo o Estado e compondo um acervo de pesquisas, objetos e respectivos saberes e fazeres associados.
 
Apoio

O Projeto Lãs do RS tem como apoio institucional: Museu Antropológico do Rio Grande do Sul (Mars/Sedac), Emater/RS, Associação Brasileira de Criadores de Ovinos (Arco), Federação das Cooperativas de Lã do Brasil (Fecolã), Associação Brasileira de Criadores de Ovinos Naturalmente Coloridos (ABCONC), Associação para o Desenvolvimento Sustentável do Alto Camaquã (Adac), Associação para Grandeza e União de Palmas  (Agrupa), Associação Pampa Gaúcho de Turismo (Apatur) e Associação em Defesa da Ecologia Ampla e da Arte (Ecoarte).

Secretaria da Cultura