Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

RS Criativo completa um ano de atividades

Programa da Sedac selecionou 17 empreendimentos e capacitou 4 mil empreendedores em 2019

Publicação:

Foto com os participantes do programa RS Criativo
Visita do governador, em julho de 2019, marca oficialmente o início das atividades do programa

Rafael Varela | Ascom Sedac

Julho é um mês de comemoração para o RS Criativo – programa estratégico de governo, criado pela Secretaria de Estado da Cultura (Sedac), em 2019, e executado por meio de convênio com o Ministério do Turismo (Secretaria de Economia Criativa). O programa colocou em prática um pilar estratégico para impulsionar a economia da cultura gaúcha. 

O RS Criativo começou a ser gestado logo no começo do governo Eduardo Leite, no bojo da refundação da Sedac, que agora em julho completou 30 anos. Entre as primeiras iniciativas estão a continuidade da parceria com o Tecna PUC (Centro Tecnológico Audiovisual do RS) e a promoção de programas de capacitação e ações descentralizadas. Foram oferecidos diversos cursos, oficinas e workshops, alcançando quatro mil empreendedores. Ações potencializadas por caravanas, que levaram cursos para nove regiões do Estado.

“O Programa mostrou potência desde o início”, lembra a secretária da Cultura, Beatriz Araujo. “Executar um programa voltado a um setor responsável por 4% do PIB do Estado é uma responsabilidade enorme, e quando nos deparamos com números tão representativos do ponto de vista de capacitações e parcerias, temos a certeza de que estamos no caminho certo. E mais do que isso: contribuindo para impulsionar a economia do Estado, com apoio irrestrito de um governador que acredita e aposta na Cultura”, comemora a secretária.

Economia criativa

Pesquisa desenvolvida pelo Departamento de Economia e Estatística (DEE/Seplag), divulgada em dezembro de 2019, aponta que o setor da economia criativa do Estado é responsável por 130 mil empregos formais – ultrapassando segmentos como o da indústria calçadista e automobilística. O RS registra mais de 48 mil microempreendedores que atuam em áreas como publicidade, artes visuais, literatura, música, audiovisual, ensino da cultura, design, moda, entre outras. Entende-se por economia criativa o conjunto de negócios baseado no capital intelectual e cultural e na criatividade que gera valor econômico.

Primeiro Ciclo de Residência Criativa

O primeiro Ciclo de Residência Criativa selecionou 17 empreendimentos, via edital de chamamento público, reunindo diversos setores. Passaram pelo Hub profissionais do Audiovisual, Moda, Eventos e Turismo Cultural, Arquitetura, Artes Visuais, Literatura e Mercado Editorial, Cultura Popular e Publicidade.

De agosto a novembro, os criativos receberam consultorias para desenvolver seus negócios e puderam usufruir, gratuitamente, da infraestrutura do Hub, que inclui área de coworking, sala de reuniões e salas de treinamento. Oito consultores do TECNA PUCRS orientaram os residentes em diferentes temáticas. Entre elas: Empreendedorismo/Gestão, Definição de Metas, Comunicação, Comunicação Digital, Aspectos Jurídicos e Desenvolvimento Pessoal.

Próximos passos

Recentemente, o programa recebeu 63 propostas para o segundo Ciclo de Residência Criativa, que deve iniciar ainda em 2020. Serão selecionados até 20 empreendedores de todo o Estado. Há diferenças com relação ao primeiro Ciclo. Uma delas é o Ensino à Distância (EAD); outra, o prazo de duração da residência, que será maior, de um ano; e serão realizados eventos em parceria com outras instituições.

Também está sendo desenvolvido um projeto de sustentabilidade econômica do RS Criativo, através do curso de pós-graduação em Design Estratégico: Inovação e Prototipagem (Unisinos). “Trata-se de uma iniciativa que fomenta a economia criativa, visando tornar o programa autossustentável, ou seja, sem depender financeiramente do Estado”, explica Ana Fagundes.

Estrutura do RS Criativo

Eixos de atuação 

Promoção e investimento: encontrar novas perspectivas de financiamento;

Territórios Criativos: conexões e capacitações; 

Mercado e Circulação: internacionalização – fundamental para a circulação de serviços e produtos culturais;

Hub Criativa Birô: espaço coworking;

Observatório: plataforma de divulgação de pesquisa, indicadores, mapeamento, cursos e conteúdos.

Balanço 2019 

Ciclo de Residência Criativa e capacitações

50 empreendimentos habilitados;

17 empreendimentos selecionados;

16 incubados;

3.595 capacitados;

Mais de 700h de mentoria e capacitação.

Secretaria da Cultura