Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Museu Julio recebe doação de acervo da Mestra Griô Sirley Amaro

Publicação:

Blusa da Mestra Sirley Amaro doada ao MJC
Blusa predileta da Mestra Sirley Amaro doada ao MJC - Foto: Solange Brum - Ascom Sedac
Por Ascom | MJC Edição: Silvia Martins | Ascom Sedac

O Museu Julio de Castilhos (MJC), instituição da Secretaria de Estado da Cultura (Sedac), recebeu nesta semana uma importante doação para o seu acervo. Trata-se de uma peça de vestuário da Mestra Griô Sirley Amaro, importante liderança do Movimento Negro do Estado.

Por dois anos, o MJC, entendendo a importância da Mestra na visibilidade da luta do povo negro, tentava esta doação. Foi por intermédio de Álvaro Amaro, filho de Sirley Amaro, residente em Salvador (BA), que Rosane Garcia do Amaral, amiga e assessora da Mestra em Porto Alegre, indicada como interlocutora da doação, conseguiu a peça. Rosane é guardiã de algumas peças, inclusive de manuscritos, que também serão doadas ao Museu num segundo momento.

Doris Couto, museóloga e diretora do Museu Julio, recorda que deu início no ano de 2020 à campanha de Formação do Acervo Afro-gaúcho, na instituição, por não existirem no Museu peças que contemplem a história de homens e mulheres negras do RS. "Nesse contexto, iniciamos algumas tratativas com o Clube União de Santa Cruz, que doou documentos e a primeira bandeira e, em seguida, com a família de Sirley Amaro. Somente em novembro deste ano, pudemos, finalmente, incorporar ao nosso acervo uma peça dessa mulher, que dedicou sua vida à preservação da cultura inscrita na sua pele. Comemoramos muito essa primeira aquisição que irá compor a exposição "Narrativas do Feminino", alusiva aos 120 anos do Museu, destaca Doris.

Presença negra no acervo

Apesar de o Museu Julio de Castilhos ter um acervo de cerca de 10 mil peças faltam elementos sobre o povo negro. O MJC conta com o tambor de sopapo, as atas e a bandeira do Clube União, bem como os leques de Isaura Bittencourt (mulher negra que pertenceu à sociedade sul-riograndense no início do século 20), e algumas poucas fotos.

Com a expectativa de ampliar ainda mais o acervo, o Museu continua a receber doações e há interesse por peças e artefatos de religião de matriz africana, bem como vestuários, fotografias antigas, documentos e objetos pessoais.

 Há, ainda, a intenção, por parte do MJC, de receber o acervo de Giba Giba (Pelotas,1940-Porto Alegre, 2014) e do ator Sirmar Antunes (Medianeira, 1955 - Porto Alegre, 2022) que em diversas ocasiões representou a figura do Lanceiro Negro no cinema e no teatro.

Mestra Griô Sirley Amaro

Sirley Amaro era pelotense, nascida em 1935 e falecida em 2020. Contribuiu, significativamente, com os saberes tradicionais, com a cultura popular e com o programa Cultura Viva, do extinto Ministério da Cultura.

Sirley disseminou e protegeu os conhecimentos ancestrais do povo negro do RS durante anos e ficou conhecida em outros estados do país por sua atuação na conservação e perpetuação do conhecimento da cultura negra.

Interessados em fazer doações para o acervo do MJC podem entrar em contato pelo telefone (51) 3221-3959 ou pelo e-mail museujuliodecastilhos@gmail.com

 

 

 

Secretaria da Cultura