Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Casa de Cultura Mario Quintana

CCMQ

A Casa de Cultura Mario Quintana está localizada no Centro Histórico de Porto Alegre
A Casa de Cultura Mario Quintana está localizada no Centro Histórico de Porto Alegre - Foto: Divulgação

A história da Casa de Cultura Mario Quintana tem início em julho de 1980, com a compra do antigo prédio do Hotel Majestic, pelo Banrisul, no governo de Amaral de Souza. O negócio foi feito para que o governo do Estado pudesse comprá-lo, já que o poder público não dispunha de recursos suficientes para cobrir o valor real.

Em 29 de dezembro de 1982, o governo do Estado adquiriu o Majestic do Banrisul e, um ano mais tarde, o prédio foi arrolado como patrimônio histórico, tendo início, a partir de então, sua transformação em Casa de Cultura. No mesmo ano, através da lei 7803 de 8 de julho, recebeu a denominação de Mario Quintana, passando a fazer parte da então Subsecretaria de Cultura do Estado.

A construção do edifício do Hotel Majestic, hoje Casa de Cultura Mario Quintana, ocorreu entre os anos de 1916 e 1933, e foi projetada pelo arquiteto Theodor Alexander Josef Wiederspahn, nascido na Alemanha, residente no Brasil desde 1908. A potencialidade do setor hoteleiro, na época, fora percebida pelo empresário Horácio de Carvalho, homem ligado ao ramo da importação e exportação que, em maio de 1913, protocolou, na Intendência Municipal, um pedido de licença para pagamento de impostos referentes à construção do edifício do futuro hotel.

Os anos trinta e quarenta foram os de maior sucesso do Majestic, período em que nele se hospedaram desde políticos importantes, como Getúlio Vargas, a artistas famosos, como Virgínia Lane e Francisco Alves. Porém, nas duas décadas posteriores, o hotel foi vítima da desfiguração que atingiu o centro da maioria das cidades brasileiras – em decorrência do período denominado “desenvolvimentista” -, passando a sofrer a concorrência de novos hotéis que contavam com instalações mais amplas e modernas. Os antigos hóspedes foram, aos poucos, sendo substituídos por lutadores de “cath” e luta livre, além de solteiros, viúvos, boêmios e poetas solitários como Mário Quintana, que ali esteve hospedado de 1968 a 1980.

Os espaços tradicionais da Casa de Cultura Mario Quintana estão voltados para o cinema, a música, as artes visuais, a dança, o teatro, a literatura, a realização de oficinas e eventos ligados à cultura. Eles são os seguintes:

  • Auditório Luís Cosme
  • Biblioteca Armando Albuquerque
  • Biblioteca Érico Verissimo
  • Biblioteca Lucília Minssen
  • Complexo Bruno Kiefer
  • Discoteca Nato Henn
  • Espaço Elis Regina
  • Espaço Fernando Corona
  • Espaço João Fahrion
  • Espaço Maurício Rosemblatt
  • Espaço Romeu Grimaldi
  • Espaço Vasco Prado
  • Galeria Augusto Meyer
  • Galeria Sotero Cosme
  • Galeria Xico Stockinger
  • Sala Eduardo Hirtz
  • Sala Norberto Lubisco
  • Sala Paulo Amorin
  • Sala Radamés Gnattali
  • Teatro Bruno Kiefer
  • Teatro Carlos Carvalho

Diretor: Jessé Oliveira

Locais

Secretaria da Cultura