Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Inscrições abertas para oficina de criação textual a partir da leitura da obra de Qorpo Santo

Publicação:

IMG 20190603 WA0083
Divulgação do Programa de Extensão Ludopoéticas
Programa de Extensão Ludopoéticas: Criação de Jogos Digitais prossegue com o Projeto "Poesia em Jogo: Interações com a Vida e Obra de Qorpo Santo", uma parceria entre o Instituto Estadual do Livro, Instituto de Artes da Ufrgs e Unisinos. Na próxima quinta-feira (6/06), das 14h às 17h, será realizada a Oficina de Criação Textual para roteiro de jogos, a partir de uma seleção de poemas de Qorpo Santo, ministrada pelo Prof. Luciano Bedin (Faced/Ufrgs).
 
O encontro é gratuito e será na sede do Instituto Estadual do Livro (IEL) -  Rua André Puente, 318 –, entidade da Secretaria da Cultura (Sedac) e tem como foco a formação de professores e pesquisadores a partir de investigações acerca da escrita e sua dimensão ético-política.  As inscrições são gratuitas, podem ser feitas acessando aqui 
Qorpo Santo
Qorpo Santo

QORPO SANTO
 
José Joaquim de Campos Leão, conhecido como Qorpo Santo foi um dramaturgo, poeta, jornalista, tipógrafo e gramático brasileiro. Nasceu em 1829, em Triunfo e mudou-se para Porto Alegre, onde estudou gramática e dedicou-se ao comércio. Durante algum tempo, levou uma vida convencional, como professor do ensino público. Participou de modo atuante nas comunidades onde se estabeleceu, foi eleito vereador em duas ocasiões. A partir de 1862, surgiram os primeiros sintomas de distúrbio mental. Nesse ano, sua esposa Inácia Maria, com quem tivera cinco filhos, solicitou e conseguiu sua interdição judicial. Inconformado, Qorpo-Santo deu início a uma longa batalha médico-judicial para reaver seus direitos. Em 1868, viajou para o Rio de Janeiro e internou-se no Hospício Pedro para avaliações. O resultado do laudo atestou que o escritor estava apto a exercer sua profissão e gerir seus bens. Ainda assim, o juiz do processo que continuava correndo em Porto Alegre declarou-o insano e manteve a interdição. Diante das dificuldades financeiras que a interdição lhe causava, foi obrigado a diminuir a intensidade de suas atividades artísticas e comerciais. Morreu vítima de tuberculose, na capital Gaúcha, em 1883.
 
Escreveu sua obra teatral no século XIX, mas suas peças só são encenadas a partir da década de 1960. Boa parte da crítica teatral brasileira do período o considera precursor do Teatro do Absurdo. É do período em que era acometido por alucinações a maior parte de seus trabalhos, tendo produzido 16 peças, entre janeiro e maio de 1866.
 
(Fonte: Enciclopédia Itaú Cultural).
 
SERVIÇO

Data: 6 de junho (quinta-feira).
 
Hora: 14h às 17h. 
 
Local: IEL (André Puente, 318 – bairro Independência) – Porto Alegre.
 
 
Texto: Vera Pinto/Ascom BPE
Secretaria da Cultura